Please reload

Posts Recentes

Couchsurfing: Para um bom viajante, um sofá basta

November 12, 2019

1/7
Please reload

Posts Em Destaque

Couchsurfing: Para um bom viajante, um sofá basta

November 12, 2019

Plataforma digital oferece hospedagem gratuita 

(O anfitrião Ângelo Alerson em sua casa, no bairro Dois Leões)

 

 

Encontrar hospedagem gratuita fora de um ambiente familiar ou de amigos talvez não soe como uma boa ideia, mas para os mais de nove milhões de usuários da rede social Couchsurfing (CS) esta prática pode dar muito certo, tornando possível conectar habitantes locais a viajantes que buscam por economia, intercâmbio cultural e novas amizades.


De tradução livre "surfe no sofá", a plataforma, lançada em 2004, é um serviço de hospitalidade sem qualquer tipo de custo aos seus usuários e que já funciona em mais de 180 países.

Os hosts ou anfitriões são pessoas que hospedam. Os convidados são chamados de guests e há também os embaixadores, pessoas escolhidas pelo sistema CS por viverem a filosofia do programa promovendo eventos com outros membros, fornecendo orientações para novos associados e cumprindo o máximo de regras estabelecidas pelo sistema. 

 

Em Salvador, a plataforma internacional não passou despercebida e já tem mais de 11 mil usuários que recebem turistas de todo o mundo por meio do Couchsurfing. No bairro Dois Leões, durante nove anos, o biólogo e embaixador do CS, Ângelo Alerson, 35, estima ter recebido mais de dois mil viajantes na própria residência.

“A princípio achei estranha a prática de hospedar pessoas desconhecidas na minha casa. Criei meu perfil, mas o mantive desativado por praticamente oito meses. Após conhecer uma garota da Alemanha que estava se hospedando por meio do CS, tive interesse em dar continuidade à conta esquecida e, desde então, não parei mais de receber os visitantes”, comentou. Foi a partir das experiências obtidas por meio do sistema CS que Anderson se tornou fluente em inglês e conheceu outras línguas e culturas.

Diferente de Anderson, a produtora Ana Célia Mello, 31, optou por explorar os estados do Nordeste se hospedando gratuitamente. Ela conta que após criar o perfil, buscou conhecer a ferramenta e trocar experiências com quem já utilizou o sistema. “A primeira coisa que fiz após criar meu perfil foi conhecer todo o site, participei de comunidades tanto de Salvador quanto dos locais que eu pretendia ir. A comunidade auxilia bastante dando várias dicas, sugestões e promovem encontros de membros. É, realmente, uma oportunidade para viajar e vivenciar experiências fora do costume”, pontuou.

Há quem opte por viajar e conhecer os principais pontos turísticos de uma cidade, mas esse não foi o objetivo da francesa Océane Elnoa, ao sair do Sul da França para a Bahia.

Hospedada no “sofá” de Alerson, lá no bairro Dois Leões, Océane conheceu muito mais do que a estrutura do Farol da Barra ou da beleza do Elevador Lacerda. Para ela, a bagagem de experiências obtidas durante a estadia valeu muito mais do que conhecer superficialmente a cidade. “Eu era dessas viajantes que saem com uma câmera fotografando pontos turísticos e acho válido também, mas a experiência de estar inserida num ambiente diferente dos propostos pelos hotéis é enriquecedor, o Couchsurfing permite essa imersão e troca mais aprofundada, você aprende sobre o outro e permite que conheça algo sobre seu país”, avaliou. 

 

Como funciona o Couchsurfing?

O Couchsurfing funciona como uma rede social semelhante ao Facebook, o usuário cria um perfil e preenche com o máximo de informações. Na rede é possível encontrar grupos de discussões e outros perfis que se enquadrem com o que o viajante necessita.


Após criar o perfil, especifique se deseja receber viajantes em casa ou se quer atuar como ambos. Todos os detalhes sobre seu espaço devem ser descritos para facilitar a escolha de quem quer encontrar um sofá.

Para o usuário que está viajando para alguma cidade ou país, há o campo de busca onde é possível selecionar o destino e a quantidade de pessoas. Na sequencia, o sistema exibe uma lista com os anfitriões disponíveis para hospedá-lo no período máximo de 7 dias.

A plataforma conta com um sistema de avaliação mútuo e visível para todos que a utilizam, o que facilita na escolha pelo anfitrião. E nessas avaliações, após a experiência, é possível que hóspedes e anfitriões escrevam as impressões que tiveram uns dos outros.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Siga
Procurar por tags
Please reload

Arquivo
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

CONTATOS

aban@faculdadesocial.edu.br
(71) 4009-2804
 

© 2017 - Agência Baiana de Notícias - Centro Universitário UNISBA